Desafios da Logística, quais as mudanças que estão por vir?

A nova fase da logística está totalmente atrelada à indústria 4.0 e para tanto precisa, obrigatoriamente, estar conectada aos requisitos de velocidade, ganho de eficiência, redução de custos e disponibilidade de informações, para se equiparar a tendência no uso cada vez mais intenso das tecnologias: IoT (Internet das Coisas), RFID, Impressoras 3D, Big Data, Analytics, Realidade Aumentada, entre outras recentes.

Desta forma, são privilegiadas as otimizações e a tomada de decisões apoiadas em dados deste ecossistema: clientes, embarcadores, transportadoras, armazéns e demais envolvidos na cadeia logística, se utilizando da Computação em Nuvem, Webservices, EDI, Big Data, BI, Mobilidade e Analytics.

O emprego de tais tecnologias traz grandes benefícios para a cadeia de suprimentos, interligando o seu ecossistema, e podemos destacar:

  • Maior integração entre os participantes da cadeia de suprimento
  • Prazos de entrega menores
  • Redução de estoques, evitando perdas e desperdícios
  • Otimização de espaços e de custos de armazenagem
  • Melhor aproveitamento das frotas e otimização de custos com transporte
  • Maior segurança da cadeia de fornecimento, evitando paradas em linhas de produção
  • Menor burocracia nos processos, elevando a produtividade e competitividade no mercado
  • Geração de grande massa de dados relevantes para apoiar as tomadas de decisão, cada vez mais assertivas e que possibilitam a melhoria contínua
  • Aumento das margens de lucro para as transportadoras e operadores logísticos que se engajarem nessa nova revolução
  • Aumento da satisfação dos clientes

Integração é a palavra chave para alcançar os benefícios indicados, portanto como caminho é apostar em tecnologias como EDI (Troca Eletrônica de Dados) e Webservices,e Aplicativos de celulares, que facilitam a gestão e permitem controle completo sobre os processos.

A mobilidade empregada para os motoristas através do uso de aplicativos de registro de ocorrências de transporte, associadas a dispositivos IoT alocados aos produtos e embalagens, mantém todos informados sobre cada evento ocorrido durante a viagem, permitindo ações de correção rápidas quando necessárias aumentando a segurança do trajeto e redução dos custos de seguro.

Já com as etiquetas RFID, comunicação de curto alcance, lidas de forma automática por meio de sensores que instalados na saída da fábrica ou do centro de distribuição, permitirão maior velocidade e segurança na leitura das informações (substituindo o modelo de trabalho manual de tais leituras), e integrados ao sistema de TMS em nuvem.

As vantagens que tais tecnologias trazem para o negócio são inúmeras. Prevenção de furtos e mercadorias falsificadas; Localização em tempo real dos produtos; Maior velocidade nos processos de armazenagem, expedição e carregamento; Redução dos custos direto, otimizando a mão de obra e o tempo.

Também vale ressaltar o emprego de outras tecnologias com uso de Drones, Robôs e Veículos Autômatos para facilitarem os processos de transporte e entrega.

Percebemos então que esta nova Logística é aliada de um trabalho eficiente e pode potencializar inclusive a segurança de seus colaboradores, processos e bens, certo?

Caminhamos para que os trabalhadores na área de logística assumam outros papéis futuramente, portanto necessitarão de qualificação e adaptação para que possa se encarregar de mais tarefas de planejamento e ação do que de monitoramento e execução,  dentro de cada contexto das novas tecnologias.

Diretor José Almeida

jose.almeida@trust.com.br